Egressos/Turma 2018-Mestrado/Trabalhos de Conclusão e Produto Educacional


ARONÍ MATOS DE OLIVEIRA
E-mail: adhuro@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL “JOÃO AFRO VIEIRA”, PORTO VELHO, RO
Resumo: Esta pesquisa tem por objetivo é o de descrever e analisar os saberes ambientais dos Professores do 1º ao 5º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental “João Afro Vieira” a respeito da formação continuada em Educação Ambiental. O referencial teórico utilizado compõe-se de autores da Educação Ambiental crítica, as suas características, as tendências, o processo formativo de professores, sustentabilidade e as práticas ambientais, a partir de uma reflexão crítica. A metodologia utilizada foi a pesquisa qualitativa caracterizada como pesquisa de intervenção em Educação Ambiental. A pesquisa de intervenção foi realizada por meio de um Curso de Formação de Professores em Educação Ambiental com os seguintes temas: Características da Educação ambiental, os valores do conhecimento, da ética, da estética e da cidadania no processo de formação em Educação ambiental; Tendências da Educação Ambiental no contexto da realidade amazônica; Com-vidas e Práticas de Educação Ambiental; Percepção ambiental, utilização das tecnologias do google earth; Resíduos para a Educação Ambiental” e a problemática da água; O trabalho educativo na Educação Ambiental; Interdisciplinaridade na Educação Ambiental; Lúdico na Educação Ambiental e o Uso das Tecnologias na Educação Ambiental. A participação no Curso e as entrevistas semi-estruturadas com os professores no Curso evidenciou as condições efetivas para a construção de uma consciência ambiental crítica, cidadã e emancipadora com um aproveitamento das ações de formação proporcionado pelas atividades da pesquisa. É possível afirmar que os professores da Escola João Afro Vieira participantes do curso incorporaram, em suas aulas a Educação Ambiental crítica e participativa, bem como inserem os saberes da comunidade escolar fruto das experiências desses professores e dos diálogos proporcionados durante o processo formativo realizada no Curso de Formação em Educação Ambiental. Como produto final resultou em um Produto Final como Sequência Pedagógica intitulada “Formação de Professores em Educação Ambiental na Escola Municipal de Ensino Fundamental “João Afro Vieira” Porto Velho, RO”.
Palavras-chave: Educação Ambiental. Formação de Professores. Educação Escolar na Amazônia.
Defesa: 2021
Orientador(a): Clarides Henrich de Barba (UNIR/PVH)
 
 
CLÁUDIA REGINA MOTA DOS SANTOS
E-mail: profclaudia33@gmail.com
Título do Trabalho de Conclusão: OFICINAS DE PRODUÇÃO DIDÁTICA EM UMA TURMA DE 9º ANO EM REGIME DE PROGRESSÃO PARCIAL: DIÁLOGOS E APRENDIZAGENS COM “OS EXCLUÍDOS DO INTERIOR”
Resumo: A presente dissertação resulta de uma pesquisa-ação cujo problema foi a materialidade da exclusão social e os desdobramentos na educação escolar em turmas atendidas pelo Regime de Progressão Parcial em uma escola de periferia de Porto Velho, Rondônia. Observar e produzir uma intervenção a fim de problematizar e buscar a transformação da realidade escolar em um contexto determinado (TRIPP, 2005) justificou que se apresentasse uma proposta didática de ensino de Língua Portuguesa para alunos de 9º ano, atendidos por esta política pública de natureza compensatória. Durante a pesquisa-ação foi possível constatar que o fracasso escolar atravessa os discursos dos estudantes sobre eles mesmos, sobre o lugar onde vivem e a escola onde estudam. O primeiro ciclo da pesquisa-ação requereu adensamento sobre a composição do espaço social (BOURDIEU, 2013; BOURDIEU, 2008), as condições de exclusão que afetam os educandos segundo o conceito de “excluídos do interior” (CHAMPAGNE; BOURDIEU,2008) e estudos sobre sua relação com o processo de produção de enunciados (BAKHTIN/VOLÓSHINOV (1981 [1929]); realização de entrevistas semiestruturadas com os/as estudantes participantes e reunião com as professoras da escola-campo. Desta fase, foi organizado o grupo de professoras-pesquisadoras como um grupo de discussão dos movimentos para os encontros com os/as estudantes. O Regime de Progressão Parcial é política pública implementada em nível nacional (BRITO JÚNIOR, 2018; PIMENTEL, 2020), mas ganha traços locais e exigiu discussão do ordenamento legal, especialmente a Portaria de nº 940, de 06 de março de 2018, da Secretaria Estadual de Educação do Estado de Rondônia. A realização das oficinas criativas como parte da proposta didática ocorreu no segundo ciclo. No terceiro, momento de elaboração do produto pedagógico da pesquisa-ação, ocorreram encontros com os educandos do 9º ano do RPP para avaliarem as oficinas criativas das quais participaram. Os resultados encontrados apontam para uma distância a ser vencida a fim de produzir mudança nos processos de exclusão social no que concerne à escola. Por isso, a pesquisa traz como resultado principal, além das reflexões realizadas e todo o aprendizado para a pesquisadora, uma proposta didática de ensino construída, a partir do contexto dos educandos participantes. Tal proposta buscou perceber os educandos como sujeitos culturais e produtores de conhecimento.
Palavras-chave: Educação em periferias urbanas; Contexto escolar amazônico; Práticas de oficinas didáticas; Pesquisa-ação; Ensino Fundamental; Pierre Bourdieu.
Defesa: 2021
Orientador(a): Márcia Machado de Lima (UNIR/PVH)
 
DALILA MAITE ROSA SENA
E-mail: dalila_maite@hotmail.com
Título do trabalho de Conclusão: INFÂNCIA, CORPO E MOVIMENTO: UMA INTERVENÇÃO COM CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL
Resumo: O presente estudo reflete sobre o movimento corporal da criança na educação infantil, requisito fundamental para a expressão, comunicação e interação. O objetivo foi compreender e analisar as práticas corporais de crianças nas idades de 04 e 05 anos inseridas em uma instituição de Educação Infantil e, a partir disso, sistematizar ações de intervenção-ação sobre o papel que o corpo ocupa na Educação Infantil, assim como, identificar as relações que se estabelecem com os objetos, espaço, professora e outras crianças, levando em consideração as diversas possibilidades de expressão. Para a construção dos dados utilizamos a observação participante e intervenção-ação com base em princípios da psicomotricidade relacional, com dezenove crianças de 4 a 5 anos de um Centro Municipal de Educação Infantil do município de Ji-Paraná/ RO. Utilizamos a Análise de Conteúdo (BARDIN, 1977), dos resultados obtidos a partir da categorização do desempenho da criança em relação ao objeto, ao espaço, na relação com o adulto professor (a) pesquisador(a) e na relação com seus pares. A pesquisa revela que os recursos da psicomotricidade relacional permitem acolher as crianças e suas expressões corporais e o que têm a oferecer, além de permitir auxiliá-las em suas demandas corporais e relacionais de modo eficaz. Revela ainda que o processo de reflexão-ação de forma contínua, de acolher a criança na Educação Infantil, tendo como referencial o lugar da expressão de cada criança, desfaz a prática pedagógica do professor (a), engessada e de controle sobre os corpos das crianças. Nesse sentido as crianças evoluem de extrema dependência de seus corpos atrelados ao professor (a) para a autonomia. Verificou-se que as crianças se comunicam de forma espontânea para expressar seus sentimentos e desejos, sem culpa ou julgamentos tanto com seus pares quanto com a professora. Confiantes em suas próprias capacidades, agindo de forma autônoma, sem dependência da mediação de um adulto, exploram os objetos e evoluem para o aperfeiçoamento dos gestos, conquistando o espaço do corpo evoluíram para a conquista do espaço circundante.
Palavras-chave: educação infantil; corpo e movimento; psicomotricidade; educação escolar.
Defesa: 2021
Orientador(a): João Guilherme Rodrigues Mendonça (UNIR/PVH)
               
GLEIDSON PAULO RODRIGUES ALVES
E-mail: gleidson775@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: “NÃO TEM DESCULPA, A REGRA É ESSA”: O QUE DIZEM DOCENTES SOBRE O DISCIPLINAMENTO EM UMA ESCOLA PÚBLICA ESTADUAL DE RONDÔNIA
Resumo: A presente dissertação intitulada “Não tem desculpa, a regra é essa”: o que dizem docentes sobre o disciplinamento em uma escola pública estadual de Rondônia, tem como objetivo problematizar práticas de professores/as sobre o disciplinamento no espaço escolar, com vistas as relações de ensino e aprendizagem que permeia as ações do cotidiano da escola. A abordagem teórica, estrutura-se no campo dos Estudos Culturais e suas possíveis conexões, com maior densidade para autores/as que articulam educação, cultura e discursos pedagógicos, tais como as ideias do sociólogo e filósofo polonês Zygmunt Bauman; na obra do renomado educador Paulo Freire; do Doutor em Educação Alfredo Veiga-Neto; do Sociólogo e teórico cultural Stuart Hall entre outros que norteiam a discussão. Quanto a metodologia empregada, esta pesquisa inspira-se na Bricolagem, como um meio que permite a articulação aos distintos modos de pesquisar e que em face do momento histórico de pandemia de Covid-19, tem possibilitado os mecanismos necessários para a construção de Entrevistas Virtuais, Grupo de Discussão On-line, Observações on-line da atualidade escolar, Descrição de percepções pessoais da escola. Podemos dizer que, a concepção dos/as professores/as a respeito do disciplinamento na escola se expressam em práticas de educação que articulam a ideia de formar sujeitos desejantes da modernidade, construídos e orientados a responderem ao que se espera de um bom cidadão “programados” por certos padrões de homogeneização a uma ideia pluralista que reedita o sentido de escola disciplinar, do aluno/a disciplinado/a, professor/a disciplinador/a, o ensino e a aprendizagem, descaracterizando o projeto de modernidade ao narrar um disciplinamento ambivalente.
Palavras-chave: Disciplinamento. Poder. Vigilância. Formação docente. Escola pública.
Defesa: 2021
Orientador(a): Prof. Dr. Genivaldo Frois Scaramuzza (UNIR/Ji-Paraná)
               
JAINE TEIXEIRA DE FRAGA
E-mail: jaine.opo@gmail.com 
Título do trabalho de Conclusão:
Resumo:
Palavras-chave:
Defesa:
Orientador(a): Josélia Gomes Neves (UNIR/Ji-Paraná)
               
JOSÉ LOURIONE FREITAS BERNARDINO
E-mail: joselourione@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: A PERTINÊNCIA DO USO DO SOROBÃ PARA OS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL OU COM QUEIXA ESCOLAR DE DISCALCULIA
Resumo: Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa, do tipo pesquisa-ação e teve como objetivo geral identificar como o Sorobã pode contribuir para o desenvolvimento do raciocínio lógico matemático dos alunos com deficiência visual ou com queixa escolar de discalculia, de maneira a potencializar a aprendizagem da matemática. Os objetivos específicos consistiram em demonstrar quais os benefícios produzidos pela utilização do sorobã nos processos de ensino e de aprendizagem desses estudantes. O problema central da pesquisa é compreender de que forma o sorobã como ferramenta de tecnologia assistiva, aplicado por professor cego, pode auxiliar no desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático de alunos com deficiência visual ou com dificuldades na aprendizagem da matemática? Para a coleta de dados realizamos entrevistas semiestruturadas com os professores das estudantes envolvidas na pesquisa para compreender como ocorrem os processos de ensino e de aprendizagem da matemática e realizamos rodas de conversas com as estudantes com a finalidade de que estas expressassem suas dúvidas e ansiedades quanto ao uso do sorobã; e a etapa da pesquisa aplicada consistiu no desenvolvimento de dois cursos voltados para o uso do sorobã para a aprendizagem da matemática, sendo um curso para estudante cega com queixa escolar de discalculia e outro para estudantes com queixa escolar de discalculia. O referencial teórico comtemplou os problemas que afetam a aprendizagem da matemática bem como abordou os aspectos que discutem a queixa escolar, o sorobã como uma tecnologia a serviço do ensino da matemática; a deficiência visual e os sentidos remanescentes baseados na experiência do pesquisador. Os resultados e as análises dos dados indicam que o sorobã contribui no processo de aprendizagem da matemática para estudantes com as características aqui apresentadas, mas, evidenciou problemas nos processos de ensino das escolas dessas estudantes.
Palavras-chave: Professor Cego; Sorobã; Deficiência visual; Queixa escolar de discalculia
Defesa: 2021
Orientador(a): Marlene Rodrigues (UNIR/PVH)
               
MARIA ROSENILDA PIRES FERREIRA
E-mail:rosepiresjipa@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL NO CMEI ARIEL
Resumo: Este trabalho teve por objetivo analisar as práticas desenvolvidas por professoras no cotidiano escolar do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Ariel Vieira Hilgert, tendo foco na linguagem, nas interações das crianças e nas significações produzidas. Essas práticas são socioculturais situadas (saberes, propósitos, desejos, crenças, valores, afetos). A importância da pesquisa está na problematização das práticas pedagógicas no CMEI, de forma que valorizem o que as crianças já apresentam, nas brincadeiras que trazem de casa, as quais fazem parte da sua realidade, e nas interações em sala de aula, promovendo o desenvolvimento da criança de quatro a cinco anos, proporcionando uma alfabetização criativa. A investigação foi norteada pelas seguintes questões: como são as práticas das professoras na educação infantil no CMEI Ariel? Como são desenvolvidas essas práticas, com foco na linguagem, nas interações das crianças e nas significações por elas produzidas? A análise foi fundamentada na filosofia de Ludwig Wittgenstein e nos modos de pensar de Antonio Miguel. O exercício de análise é feito mediante narrativas do percurso terapêutico dos significados e mediante a encenação dialógica ficcional, com base na terapia gramatical filosófica de Wittgenstein. Com essa inspiração, os personagens performam suas falas nos rastros das significações das práticas da educação infantil. O corpus da pesquisa se constituiu de: diferentes jogos de linguagem e práticas culturais; a literatura sobre a temática; a legislação referente à educação infantil; as falas de nove professoras, da coordenadora pedagógica, da diretora e vinte e cinco crianças do pré-escolar II. As vozes que os sujeitos fazem ecoar nesta pesquisa apontam a necessidade de se repensar as práticas das professoras e as interações das crianças nas brincadeiras, com um olhar voltado para novas perspectivas, por meio de jogos de linguagem que contextualizem o espaço escolar. As professoras entendem que é importante desconstruir as práticas pedagógicas com um olhar atento aos recursos e brincadeiras que possam contribuir com essas práticas.
Palavras-chave: Práticas pedagógicas. Educação infantil. Práticas matemáticas. Jogos de linguagem.
Defesa: 2021
Orientador(a): kátia Sebastiana Carvalho dos Santos Farias (UNIR-PVH)
               
NEIVALDO RODRIGUES DOS SANTOS
E-mail: economistaneivaldo@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: EDUCAÇÃO FINANCEIRA E EDUCAÇÃO MENOR: EXPERIMENTAÇÕES CURRICULARES COM UMA TURMA DE 9º ANO EM JI-PARANÁ – RO
Resumo: O presente texto é o resultado da pesquisa Educação Financeira e Educação Menor: experimentações curriculares com uma turma de 9º ano em Ji-Paraná – RO, desenvolvida em um contexto de problematizações acerca do conceito de educação menor de Silvio Gallo. Utiliza-se a ideia de educação menor como possibilidade outra de fazer educação, de criar ambientes de discussões sobre o tema Educação Financeira, levando em conta o cotidiano vivido e vivenciado por alunos-sujeitos da escola da rede pública estadual Aluízio Ferreira, localizada na periferia da cidade de Ji-Paraná/RO. O trabalho ainda apresenta como aliados teóricos Deleuze e Guattari e, principalmente, Michel Foucault. A pesquisa tem por objetivo compreender como o trabalho do tema Educação Financeira, junto aos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II, na perspectiva da educação menor pode contribuir para a sua formação subjetiva, haja vista que os respectivos estudantes apresentam conhecimento prévio de matemática financeira básica (porcentagens, juros simples e operações com mercadorias, etc). A metodologia se constituiu de encontros com rodas de conversas, produções de redações relacionadas ao tema e construídas em parceria com a componente curricular de Língua Portuguesa, além de aplicação de questionários, via google forms. A pesquisa evidencia a importância de a escola trabalhar o tema da Educação Financeira de maneira a considerar e valorizar a realidade dos alunos, suas relações com o consumo, seus sonhos... ,ou seja, entende-se pertinente quebrar modelos tradicionais que tentam incutir um padrão de modo de vida baseado na acumulação irrestritra e incondicional para “ficar rico”, mas, desenvolver propostas que despertem a problematização acerca do “bem viver” de maneira autônoma e criadora. A pesquisa apresenta ainda como produto um e-book com proposta de oficina de conceitos com o tema da Educação Financeira.
Palavras-chave: Currículo escolar. Educação menor. Educação financeira. Escola pública.
Defesa: 2021
Orientador(a): Prof. Dr. Rafael Christofoletti (UNIR/PVH)
               
NOÉ CARDOSO DA SILVA
E-mail: noe.cardoso@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE E IDENTIDADES/DIFERENÇAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO - RO
Resumo: Esta dissertação intitulada: Desenvolvimento profissional docente e identidades/diferenças em uma escola pública no município de Porto Velho - RO, investigou as compreensões docentes a respeito das identidades/diferenças culturais e descreve de que modo o desenvolvimento profissional docente aborda essa temática. Os objetivos específicos, foram assim definidos: a) descrever as principais teorias que abordam a questão das identidades/diferenças na escola; b) analisar as concepções dos/as professores/as sobre as identidades/diferenças culturais; c) registrar as formações oferecidas aos docentes, suas aproximações ou distanciamentos da temática das identidades/diferenças, um olhar para o currículo; d) identificar estratégias utilizadas pelos docentes para trabalhar com a identidade/diferença cultural na escola; e) propor um kit de formação pedagógica para a compreensão das identidades/diferenças culturais na escola. Quanto ao campo teórico, destaca-se os Estudos Culturais e suas possíveis articulações com o campo de Formação de Professores/as. No sentido de pensar a cultura e a educação, os destaques são a presença, entre outros, dos seguintes autores: Bhabha (2013); Candau (2002/2011/2020); Fleuri (2002); Hall (1997/2006); Walsh (2009). Para pensar o campo da Formação de Professores/as através do desenvolvimento profissional docente, visualiza-se: Nóvoa (2009); Imbernón (2010); Day (2001); Marcelo Garcia (1999), entre outros. Os principais colaboradores da pesquisa foram professores/as de uma escola pública municipal de Porto Velho-RO, que atendem atualmente alunos/as do ensino fundamental I de 1º ao 5º ano. Em termos metodológicos, a pesquisa inspira-se na Bricolagem ao articular distintas estratégias como recurso analítico das situações pesquisadas. Em função do distanciamento social provocado pela pandemia de Covid-19 todo processo investigativo se deu através de ferramentas digitais, como, o Google Forms para questionário fechado e o Google Meet para as entrevistas semiestruturada on-line e grupo de discussão on-line. Além dessas estratégias, utilizou-se de informações em documentos digitais, tais como: registros de formações continuadas, Projetos Políticos Pedagógicos entre outros. A pesquisa evidenciou que os/as professores/as entendem a concepção de cultura, identidade e diferença numa visão colonial que busca a invisibilidade ou silenciamento daqueles grupos considerados como “culturas inferiores” ou “sem cultura”. Possibilitou também evidenciar a ausência de formações docentes com as temáticas da cultura, identidade e diferença pela Secretária Municipal de Educação. Diante dessa ausência também ficou evidente nas narrativas dos/as professores/as que suas estratégias com abordagem nessas temáticas são trabalhadas em sala de aula de forma folclórica ou dissociadas em momentos específicos com destaque para dia e mês da festa junina.
Palavras-chave: Desenvolvimento Profissional. Docente. Identidade/Diferença.
Defesa: 2021
Orientador(a): Genivaldo Fróis Scaramuzza (UNIR/PVH)
               
THAÍS THAIANARA OLIVEIRA DA COSTA
E-mail: thaianaraoliveira@gmail.com
Título do trabalho de Conclusão: ARTE, EDUCAÇÃO E RESISTÊNCIA: FEITURAS TEATRAIS E COMPOSIÇÕES IMAGÉTICAS
Resumo: Educação e Arte e Experiência e Teatro e Infâncias e... e...e... Esta pesquisa é fruto de alguns encontros, acontecimentos e trocas de experiência com professores e alunos dos anos iniciais de uma escola da rede pública municipal de Porto Velho- Rondônia. Parte de um processo de escritas com composições imagéticas que busca formas-outras de possibilitar, abrir caminhos, navegar pela interface arte-cotidiano escolar. Dos intercessores desta pesquisa, destaca-se Gilles Deleuze que provoca reflexões acerca de processos criativos em seu estado puro de sensações e possibilita, aqui, pensar o currículo por meio de experiências artísticas moventes e navegantes que transbordam em pensamentos reverberantes. A escolha dessa pesquisa nômade permitiu reflexões sobre docência, infância, individualidades em transformação e deformação. Multiplicidades de vozes e devires. As imagens que compõem com as reflexões foram disparadoras das escritas e de questões para a pesquisa, contém: vozes, gritos, silêncios, vibrações e vitalidades infantis. Uma tentativa de lidar de formas outras com as imagens que não seja pela ilustração e/ou representação.
Palavras-chave: Ensino de Arte; Pesquisa nômade;Teatro; Infâncias.
Defesa: 2020
Orientador(a): Rafael Chistofoletti (UNIR/PVH)



    Sem imagens.